Leidiane de Souza Ferreira, 20, grávida de oito meses, foi encontrada morta dentro do prédio da Santa Casa de Misericórdia, no Centro de Manaus. A vítima foi atingida por dois disparos de arma de fogo no pescoço. De acordo com a polícia, o principal suspeito do crime seria o companheiro dela, um homem conhecido como “Sapo”.

A jovem morava no local com o companheiro, desde setembro de 2014 – época em que foram colocados os tapumes em frente à Santa Casa e a promessa do governo era de, após reforma, o local voltar a funcionar como um hospital voltado ao atendimento e tratamento de crianças e adolescentes com câncer.

O corpo foi encontrado por volta das 7h, por uma amiga da vítima. A vítima estava jogada no chão, em uma sala no primeiro andar do prédio.

“Eu fui lá com ela cedo entregar uma pedra de sabão. Chamei no corredor e ela não falou nada. Aí, eu fui lá e a vi jogada no chão já morta. Chorei muito, ajoelhei do lado dela e comecei a rezar pra pedir a Deus olhar por ela”, disse Juciana Ataíde, de 19 anos.

Segundo a avó de Leidiane, a jovem era usuária de drogas há aproximadamente de 3 anos, e estava junto com o companheiro há cerca de dois – quando a jovem tinha saído de casa para viver nas ruas. Leidiane já tinha falado para família que “Sapo” era agressivo e que a ameaçava de morte se ela o deixasse.

“Ele explorava, colocava ela para fazer programa e arranjar dinheiro pra comprar droga para ele. Ela também é usuária. O ‘Sapo’ já tinha tentado matar ela duas vezes, já tinha furado de faca e espancado a minha neta. Ela contou que era ameaçada”, disse a avó a autônoma, Sônia Maria Seixas de Morais, 56.

A avó viu Leidiane pela última vez, na quinta-feira (15). A jovem foi até a casa da família no bairro Monte Sinai, Zona Norte de Manaus. “Eu pedi para ela voltar para casa. E ela disse para eu não me preocupar. Foi a última vez que falei com ela. Eu pedia pra ela voltar pra casa porque não tinha necessidade dela ficar na rua. A mãe dela morreu, mas deixou uma casa grande e terrenos para ela e para as três irmas. Eu dizia pra ela abandonar este homem e ela dizia ‘Vovó o ‘sapo’ não deixa’”, disse a avó.

Amigos do casal, disseram ter ouvido eles discutirem a noite inteira. “Ele estava batendo nela. Ele sempre fazia isso. Ontem mesmo ele ameaçou jogar ela da escada. Ele não aceitava porque a filha que ela estava esperando não era dele. Isso foi a gota d´água”, disse o lavador de carros Felipe Martins, de 21 anos.

A jovem deixou uma filha de um ano e dois meses. Policiais da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) atenderam a ocorrencia. A polícia está em busca do suspeito.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Deixe uma resposta