A Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) incinerou 2 toneladas de drogas, na manhã desta sexta-feira (23/04), em Manaus. O material entorpecente é oriundo de apreensões realizadas durante operações policiais deflagradas no estado, desde o ano passado. A destruição das drogas ocorreu em uma empresa localizada na rua Guiana Francesa, bairro Distrito Industrial II, zona leste da cidade.

Esta é a primeira incineração de grande porte realizada pelo sistema de segurança em 2021. Todo o material entorpecente que será incinerado é fruto de apreensões realizadas durante as operações da SSP, da Polícia Civil e da Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

O secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, disse que o material incinerado é resultado de um trabalho eficaz das equipes policiais com a ajuda da população, que vem denunciando frequentemente por meio de canais oficiais, como o 181, o disque-denúncia da SSP-AM.

“Já estamos com o recorde de quase 11 toneladas nesses poucos meses. O governador Wilson Lima  determinou reforço neste trabalho de combate ao tráfico, nos dando todo apoio. Nós também contamos com o apoio da população, que tem colaborado com o trabalho das equipes de investigação”, salientou o secretário.

De acordo com a delegada-geral Emília Ferraz, o trabalho em conjunto é muito criterioso, feito com apoio constante das duas forças. “A Base Arpão realiza um trabalho de monitoramento e inteligência. Eles nos dão respaldo sobre a localização da droga, a quantidade e os barcos que estão transportando. Nós estamos observando todas as rotas, quem entra e quem sai, por isso esses recordes absolutos”, disse a delegada.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ayrton Norte, ressaltou que, além do combate às drogas, as polícias têm reforçado a atuação para desarmar o crime, e disse que, neste ano, mais de 500 armas já foram apreendidas pela PM.

“Trabalhamos para a população de forma que as pessoas possam ir e vir e que o criminoso vá para a cadeia. Ontem (22/04), nós tivemos uma ação muito exitosa da Rocam, na qual nós apreendemos 14 armas de fogo e nós retiramos três elementos líderes de facção criminosa”, disse o comandante.

O material entorpecente queimado nesta sexta-feira está avaliado em mais de R$ 10 milhões. A última incineração aconteceu em setembro do ano passado, quando foram destruídas mais de uma tonelada de entorpecentes. As incinerações só ocorrem após decisão judicial.

 

Com informações da assessoria 

 

Deixe uma resposta