No ar em cultura.am.gov.br, o Portal da Cultura oferece, para artistas e público, serviços como programação dos espaços culturais, agendamento, editais, notícias e atividades virtuais. Em outubro, o site da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa teve 84.384 acessos.

Segundo o secretário Marcos Apolo Muniz, a proposta é ser uma referência para quem busca informações sobre cultura e, principalmente, sobre os processos da Lei Aldir Blanc. Ele destaca que o conteúdo é distribuído ainda por meio do @culturadoam no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube e no aplicativo Cultura.AM.

“Numa comparação entre outubro de 2019 e 2020, tivemos um aumento de 40% nos acessos do Portal da Cultura em um ano”, afirma o titular da pasta. “Estamos trabalhando para oferecer mais praticidade e eficiência para os dois públicos, artistas e sociedade civil”.

Conteúdo – No Portal da Cultura, é possível acompanhar as atividades gratuitas realizadas nos espaços administrados pelo Governo do Amazonas. Além da programação, o público pode fazer o agendamento on-line.

No canal são publicadas ainda notícias sobre os destaques da área de cultura, artes, entretenimento e as ações emergenciais da Lei nº 14.017/2020, a Lei Aldir Blanc. Na aba “Editais” estão disponíveis documentos referentes à Lei, que repassou mais de R$ 38 milhões ao Estado do Amazonas para fomentar o setor da cadeia produtiva da cultura.

‘Cultura Sem Sair de Casa’ – O projeto disponibiliza programação diversa e gratuita no Portal da Cultura. São oferecidas aulas virtuais por meio do projeto “Praticarte”, com professores do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro; performances dos Corpos Artísticos como Amazonas Filarmônica, Orquestra de Violões, Amazonas Band e Coral do Amazonas; e visitas virtuais na Pinacoteca do Amazonas, Museu Tiradentes da Polícia Militar, Museu de Arqueologia, Museu da Imagem e Som do Amazonas, Museu de Numismática, Biblioteca Pública do Amazonas, Galeria do Largo e dos centros culturais Palácio Rio Negro e Povos da Amazônia. O Teatro Amazonas e o Centro Cultural Palácio da Justiça contam com vídeos em 360 graus.

Durante as visitas, os guias que trabalham nestes espaços fazem um tour, comentando sobre a história, curiosidades e obras de cada patrimônio.

Documentários – O projeto também inclui exibição de filmes que apresentam artistas e personalidades ligadas à cultura do Estado. Os títulos disponíveis têm direção, roteiro e fotografia assinados pelo cineasta amazonense Sérgio Cardoso.

Leitura – A “Gincana do Livro” tem o propósito de reunir famílias em torno do acervo de cada casa, para explorar a riqueza literária que está nas estantes, além de compartilhar autores e histórias.

Para iniciar, são necessários alguns materiais, como livros diversos, caneta e papel ofício. O jogo pode ser realizado a partir de duplas, com um participante para procurar os livros e outro para marcar as obras encontradas na lista de publicações.

Os modelos da lista de obras e tabela de pontuação estão disponíveis no Portal da Cultura, na aba “Cultura Sem Sair de Casa”.

Praticarte – Quem quiser aprender a tocar instrumentos como teclado e violão ou iniciar uma atividade como desenho artístico, tem à disposição mais de 50 videoaulas gratuitas, por meio do projeto “Praticarte”, com professores do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

Mapa das Artes – O jogo está disponível no Portal da Cultura para que famílias possam imprimir em casa. Até quatro pessoas podem jogar e, enquanto avançam as casas do tabuleiro, aprendem sobre os patrimônios históricos e sobre a cultura do estado em geral. A faixa etária é para maiores de 7 anos.

*Reprodução

Deixe uma resposta