Das quase oito mil escolas públicas do Brasil inscritas no Prêmio de Gestão Escolar (PGE), a unidade de ensino da Prefeitura de Manaus, Sérgio Alfredo Pessoa Figueiredo, no bairro Presidente Vargas, zona Sul, foi consagrada como uma das melhores do país, entre as cinco escolhidas por uma comissão de educação nacional, inclusive com o título de Escola de Referência da Região Norte 2020, devido a execução do projeto “Ressignificando vivências de uma educação integral em tempos de pandemia”.

A premiação é promovida pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), para reconhecer boas práticas e multiplicar estratégias entre os gestores. “Esse reconhecimento à escola Sérgio Pessoa é mais uma prova de todo o trabalho sério que a gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto deu à educação pública municipal, que figura entre as dez melhores do país no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o Ideb. Estão todos de parabéns”, disse a titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Kátia Schweickardt.

Durante todo este ano de desafios à educação, em que a pandemia assolou o mundo, o “Ressignificando” envolveu todos os 216 alunos da escola, do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, além da família dos estudantes e a comunidade.

Objetivo

O objetivo é de assegurar os direitos de aprendizagem dos estudantes, levando em consideração as dimensões do desenvolvimento humano e a intervenção na resolução de problemas da comunidade.

“É um projeto feito por várias mãos e executado por uma equipe que estava passando por um momento difícil, mas ninguém largou a mão de ninguém. Executamos esse projeto juntamente com os pais dos alunos que foram fundamentais no processo. É importante dizer que sem eles não poderíamos ter alcançado o sucesso. Nossa missão garantiu o direito à aprendizagem. Os alunos não se sentiram sozinhos porque puderam vivenciar e ter a certeza de que tem em cada um dos nossos professores, um amigo, alguém que pode orientar em mínimos detalhes, seja na área educacional ou social”, destacou a gestora da escola, Regeane Chaves dos Santos.

“Ter um olhar mais humanizado às famílias, o cuidado social e emocional com as crianças e não só intelectual, a tutoria familiar, a questão de garantir o direito à aprendizagem por meio de uma educação humanizada e integral, foi fundamental”, reconheceu.

As atividades foram realizadas em parceria com professores, alunos, demais servidores da escola, profissionais voluntários e a comunidade em geral.

O trabalho da escola com o projeto obedeceu a algumas etapas como mapeamento, atendimentos gerais, movimento para suprir as necessidades prioritárias das famílias, tutoria familiar, atividades artísticas, de musicalização, esportivas e gastronômicas, atividades pedagógicas, orientações sobre saúde, roteiro de estudo e plantão de dúvidas.

“Esse relacionamento de confiança fez toda a diferença. Esse lado é o coração do nosso trabalho. Para se chegar nesse reconhecimento não foi fácil, houve etapas. E saber que estamos no caminho certo, garantindo o direito de aprendizagem e fazendo uma escola pública de qualidade, mesmo em período de pandemia, é gratificante”, resumiu Regeane Chaves dos Santos.

*Reprodução 

Deixe uma resposta