O desembargador Djalma Martins da Costa, de 75 anos, faleceu nesta quinta-feira (1º), vítima da Covid-19. Ele estava internado em São Paulo, desde janeiro.

Djalma aposentou-se em fevereiro de 2021 por atingir a idade para ocupar a Corte. Em 2018, chegou a ocupar o cargo de corregedor do Tribunal de Justiça do Amazonas.

Na ocasião da passagem do aniversário de Djalma, que já estava internado por conta da doença, o também desembargador Jomar Fernandes exaltou a trajetória do amigo, que ocupou a vaga no Pleno do TJ-AM dedicada ao Ministério Público do Amazonas. “Quem há de esquecer a verve de nosso decano quando usando da palavra jamais se permitia não fazer alguma citação humanística, ainda que os casos que estivesse julgando fossem eminentemente técnicos. Tive a oportunidade de conhecê-lo como membro corregedor do MP quando nos encontramos nas barrancas do rio Madeira, em Humaitá, onde eu havia tomado posse como juiz na minha primeira investidura e ele estava lá para fazer correição e se apresentou com simplicidade ímpar, parecia um jurisdicionado, e então formamos uma amizade fraterna que trago até hoje”, destacou Jomar na ocasião.

Carreira

Natural de Boca do Acre (AM), Djalma Martins da Costa atuou como promotor e procurador de justiça no MPAM. Ingressou na magistratura em 29 de junho de 1989, assumindo vaga destinada ao Ministério Público pela chamada regra do quinto constitucional, prevista no artigo 94 da Constituição da República de 1988.

Era o decano do TJAM, órgão que presidiu de 2000 a 2002; atualmente compunha a 2.ª Câmara Criminal, além das Câmaras Reunidas e Tribunal Pleno. Ao completar 75 anos, atinge o limite de idade para atuação no serviço público, a chamada aposentadoria compulsória.

Deixe uma resposta