O candidato a prefeito de Manaus, capitão Alberto Neto, tem como uma das prioridades no seu governo, a valorização do pequeno produtor. Alberto Neto assumiu o compromisso de comprar os ingredientes para a merenda escolar direto desses trabalhadores, assim como conceder títulos definitivos da terra e implantar fábrica de fertilizantes.  

O parlamentar visitou o ramal do Areal, situado no ramal 41 da AM 010, no início dessa semana.  Na ocasião, ele destacou o quanto o pequeno agricultor e peça fundamental para uma economia pulsante e falou sobre seus compromissos para impulsionar o setor primário.  

Uma das medidas está na compra pela prefeitura dos ingredientes para a merenda escolar dos pequenos agricultores, a concessão dos títulos definitivos da terra e a implantação de uma indústria de fertilizantes para aproveitar a potencial do interior do Amazonas no beneficiamento de nitrogênio, fósforo e potássio, que são componentes conhecidos pela sigla NPK que formam a base dos fertilizantes.  

Daniele Souza Rocha trabalha há dez anos com produção de ovos e hortaliças. Nas propriedades vizinhas também são produzidos peixes e frutas, que são vendidos para mercadinhos. Ela relatou ao candidato todas as dificuldades enfrentadas pela categoria.  

“Sem título definitivo da terra, muitos não têm acesso a crédito e não podem investir nas suas plantações. Outro problema é a compra da ração. Muitas vezes sai mais caro adquirir da Conab, pois os produtores grandes compram tudo e nós, que somos pequenos, não temos acesso a nenhum benefício”, contou. 

 Como deputado federal tenho questionado a Companhia de Abastecimento (Conab) sobre o preço da ração vendida aos pequenos produtores. Estamos junto com vocês nessa luta para garantir um valor justo e o incentivo que a agricultura familiar necessita para prosperar. É meu compromisso e continuará sendo como prefeito”, disse. 

Alberto Neto assumiu o compromisso de conceder título definitivo das terras pertencentes ao Município e buscar diálogo com Estado e União para garantir aos agricultores a regularização fundiária. “A posse da terra promove cidadania, emprego e renda para os trabalhadores”. 

Deixe uma resposta