AMAZONAS Um supermercado localizado nas proximidades da Praça da Matriz, no Centro de Manaus, foi flagrado com uma ligação irregular de água. Após receber denúncias sobre o suposto furto, a concessionária Águas de Manaus foi até o local na última quarta-feira (22) e após uma inspeção, encontrou um desvio na rede de abastecimento de água tratada do estabelecimento.

A ação foi uma parceria entre a empresa e a Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada em Combate a Furtos de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS) e da perícia do Instituto de Criminalística do Amazonas.

A água desviada abastecia áreas como açougue, lanchonete e a cozinha do estabelecimento comercial. A equipe da Águas de Manaus realizou testes de pressão, vazão e com reagentes químicos como o flúor, que comprovaram que a água do local era fornecida pela concessionária.

O supermercado não possui poço artesiano ou outro sistema independente de abastecimento. O estabelecimento ainda possui um débito de R$ 180 mil com a Águas de Manaus.

A ligação irregular foi cortada e o supermercado recebeu uma Notificação de Infração de Ligação de Água (NILA). O gerente do estabelecimento foi conduzido pela Polícia Civil até a DECFS para prestar esclarecimentos.

Posteriormente, o proprietário do local foi notificado pela Polícia a também comparecer a DECFS e a um posto de atendimento da Águas de Manaus para negociar o débito e regularizar a situação do estabelecimento.

Quem comete esse tipo de irregularidade pode ser enquadrado no Código Penal Brasileiro pelo crime de furto. Segundo o Artigo 155, a punição prevista para esse tipo de crime é de um a quatro anos de prisão, além de multa. A postura da Águas de Manaus, no entanto, é a de sempre buscar a regularização do cliente.

Ao se comprovar a fraude, é feita eliminação da mesma e a normalização da ligação. O proprietário do imóvel, então, é encaminhado ao ponto de atendimento da concessionária mais próximo, para que possa renegociar seus débitos.

Deixe uma resposta