Dados divulgados nesta quarta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que Manaus saiu da oitava para a sexta posição entre os municípios com as maiores participações no Produto Interno Bruto (PIB) nacional em 2018.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Conforme os dados, Manaus possuía, em 2018, PIB inferior apenas ao de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba.

Manaus fechou o ano de 2018 com PIB de R$ 78.192.321.000,00; com participação de 20,18% no Produto Interno Bruto da região Norte, e 1,12%, no nacional.

Em 2016, Manaus ocupou a oitava posição entre os municípios com maiores PIBs do país. Fechou o ano com R$70.296.364.000,00; e uma participação de 1,12% do Produto Interno Bruto Nacional.

A principal atividade de Manaus e também do Estado do Amazonas foi a dos Serviços, deixando a Indústria em segundo lugar, assim como no ano anterior.

“Em 2018, pelo segundo ano consecutivo, a indústria não aparece como a atividade econômica mais importante do Estado porque os Serviços (incluindo o comércio) assumiram essa posição, com participação de 38,53% no valor adicionado total do PIB do Amazonas; a Indústria teve participação de 34,30%; a Administração, 20,63%, e a Agropecuária, participação de 6,54%”, informou o IBGE.

Os dados também mostram que em 2018 houve crescimento para 55 dos 62 dos municípios do Estado, incluindoCoari, o segundo maior PIB do Estado. Por outro lado, alguns dos municípios de maior participação no valor do PIB Estadual, como Itacoatiara e Manacapuru sofreram quedas.

Em 2018, Presidente Figueiredo (84,6%), Coari (52,4%) e Tefé (25,1%) foram os municípios que tiveram as maiores altas nos seus PIBs. Tapauá (-27,0%), Maraã (-16,5%) e Manacapuru (-6,4%) foram os municípios com maiores percentuais de perdas.

De acordo com o IBGE, que oito municípios responderam por quase ¼ do PIB nacional e 14,7% da população brasileira.

Os 71 municípios com os maiores PIBs reuniam pouco mais de 1/3 de toda a população do país e responderam, juntos, por 49,9% de toda a riqueza produzida em 2018. Um ano antes, a mesma proporção do PIB havia sido gerada por 69 municípios.

Em contrapartida, 1.346 municípios com os menores PIBs responderam, juntos, por apenas 1% do PIB nacional. Juntas, estas cidades abrigavam 3,1% de toda a população do país. O IBGE destacou que Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte e Tocantins tinham quase metade de seus municípios entre este grupo com menor geração econômica.

O Amazonas obteve crescimento de 7,4% no PIB, em 2018, alcançando o valor de R$ 100.109.235.000. O PIB do Amazonas foi o 16º no ranking dos PIBs do país. As Unidades da Federação que obtiveram maiores crescimentos no PIB foram o Espírito Santo (20,8%), Rio de Janeiro (13,0%) e Piauí (11,0%).

*G1

Deixe uma resposta