De acordo com o delegado Marcos Arruda, titular do 1º DIP, o infrator teria feito um “pacto de amizade” com a vítima para que ela não relatasse os acontecimentos.  “A vítima contou que o crime ocorreu diversas vezes naquele ano e que o indivíduo, na época, era seu professor em uma escola pública localizada no Km 07 da BR-174. Ainda segundo a vítima, o estupro era cometido no banheiro da instituição. Após o relato da criança, a responsável formalizou a denúncia, e no dia de hoje conseguimos cumprir o mandado”.

A decisão foi expedida por meio 1ª Vara Especializada em Crimes contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes, no dia 20 de julho deste ano, pela juíza Patrícia Chacon de Oliveira Loureiro. Todo o processo corre em segredo de justiça.

Procedimentos

O homem responderá pelo crime de estupro de vulnerável e após os procedimentos cabíveis, ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerá à disposição da Justiça.