Everaldo Pereira, pastor e atual presidente do Partido Social Cristão (PSC), foi preso nesta sexta-feira (28) em decorrência de investigação que apura desvios de recursos públicos da saúde do Rio de Janeiro, no governo de Wilson Witzel (PSC), que foi afastado do cargo pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O evangélico é pastor da Igreja Assembleia de Deus e corretor de imóveis, é natural do Rio de Janeiro, nascido em 1956. No seu histórico de vida consta que ele já foi camelô e servente de pedreiro antes de passar em concurso público para o Instituto de Resseguros de Economia e Finanças do Rio de Janeiro (FEFRJ). Logo após ele abriu uma corretora própria.

Na década de 90, Everaldo se destacou como cabo eleitoral de políticos evangélicos, um desses é o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, que também chegou a ser preso por corrupção. O pastor assumiu cargo de subchefe da Casa Civil do governo.

Everaldo se filiou ao PSC em 2003. Ele também se candidatou a presidente da República em 2014, tendo sido o quinto mais votado, quando recebeu 780.513 votos (0,75%). Nas eleições de 2018 se candidatou ao cargo de senador do Rio de Janeiro e também não foi eleito.

Como presidente do PSC, o pastor Everaldo atua como assessor político dos governadores eleitos pelo partido em 2018, Wilson Witzel, do Rio, e Wilson Lima.

Deixe uma resposta