Foto: Internet

A pré-candidata à Presidência da Republica, Marina Silva, reuniu-se com líderes de igrejas evangélicas, na noite da última sexta-feira (14). O movimento foi visto por alguns como uma tentativa de se apresentar como uma figura oposta ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) que tem a simpatia de figuras evangélicas contrarias a Marina.

 

A reunião ocorreu em São Paulo, capital. O grupo composto por religiosos, em maioria, presbiterianos, batistas e luteranos, já apoiaram a ex-senadora em eleições passadas.

Durante seu discurso, ele defendeu a pauta da reforma política, incluindo pontos defendidos pelo movimento Reforma Brasil, liderado pela Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo.

 

“Tenho a felicidade de ter o voto do evangélico, voto do católico, voto de espírita, voto de quem crê e voto de quem não crê. Porque eu me dirijo aos cidadãos brasileiros e respeitando a fé de cada um e, sobretudo, não negando minha identidade”, declarou a pré-candidata quando questionado por um jornalista se ela se via como detentora do voto evangélico assim como Bolsonaro.

Deixe uma resposta