Dois novos jardins comunitários estão surgindo, nesta semana, pela Prefeitura de Manaus, com intuito de inibir a reincidência de lixeiras viciadas, retiradas pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), nos últimos dois dias.

Para viabilizar o novo jardim comunitário, pelo menos três equipes da Semulsp foram mobilizadas desde o mês passado. Agentes de limpeza, ações de conscientização e equipes de plantio participaram do trabalho. “Os novos jardins estão se espalhando pela cidade, numa tentativa lúdica e saudável de acabar com esse problema crônico que são as lixeiras viciadas. É uma determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto melhorar os serviços públicos e deixar a cidade mais limpa e bonita”, afirmou o subsecretário operacional da Semulsp, José Rebouças.

No bairro São Francisco, na zona Sul, o ponto localizado entre a rua Melo Gomes e o beco São José, já vinha sendo trabalhado pela Semulsp desde o começo de abril. “O primeiro passo, após identificar o problema, é conversar com os moradores para entender as demandas do local. Depois disso, entramos com a conscientização e orientação dos moradores, acerca da melhor forma de acondicionar o lixo e horários da passagem do carro coletor. Nessa segunda-feira, 21/5, houve nova ação de limpeza e a implantação do jardim”, contou o coordenador da ação, Fábio Araújo.

Aldenor Xavier, funcionário público e morador do beco São Jorge, elogiou o trabalho e vê aceitação dos moradores à ação da Prefeitura. “Ficou muito bom esse jardim. Acho que todos estamos gostando. A Semulsp ficou de implantar também uma lixeira comunitária agora. Vai ficar ótimo”, disse.

Já a moradora Meire Silva, que possui uma banca de lanche na rua Melo Gomes, acredita na mudança de comportamento dos moradores. “Já vejo uma postura nova entre a vizinhança. As pessoas estão gostando. Ninguém quer morar perto de um local sujo, que atrai urubus e outros bichos. É muito bom ter um jardim assim perto de casa. Já vi os vizinhos regando as plantas. Acredito que, daqui para frente, as coisas serão diferente”, comemora.

A Semulsp pretende realizar novas ações de conscientização no local e viabilizar a implantação de uma lixeira comunitária nas próximas semanas.

Outra ação semelhante é desenvolvida pela Semulsp em um canteiro central na avenida Rodrigo Otávio, com a Travessa do Contorno, do bairro Coroado. O local vinha sendo utilizado para acúmulo de lixo. “O bairro Coroado é um dos mais problemáticos nesse sentido. Temos coleta em dois turnos nesse bairro e ainda fiscais de pontos, mas o problema continua”, conta Fábio Araújo.

O jardim começou a ser plantado nesta terça-feira, 22/5. A meta é finalizar o trabalho esta semana. “Será mais um jardim que vamos entregar para os moradores dessa área. Ano passado, implantamos um com quase 300 metros nesse bairro. Vamos continuar trabalhando para melhorar a limpeza aqui”, garante o subsecretário José Rebouças.

A limpeza de lixeiras viciadas pode mobilizar até cinco equipes da Semulsp: varrição, remoção mecanizada, jardinagem, conscientização e fiscalização. Para o trabalho de implantação de jardins, a Semulsp utiliza plantas das espécies: agave, pau-pretinho, croton taperebá, espada de são jorge, dracena, bananeira, cróton police, jasmim do Caribe, grama esmeralda, entre outras, cultivadas em viveiro próprio da Semulsp.

Deixe uma resposta