Foto: reprodução da internet

Na etnia Yanomami, quatro crianças foram internadas no Hospital de Guarnição do Exército de São Gabriel da Cachoeira, distante 852 quilômetros de Manaus, e testaram positivo para a Covid-19. As crianças são da Aldeia Maiá, distante 170 Km da sede do município, e deram entrada na unidade apresentando sintomas como diarréia, vômito e desidratação. E mais outras 15 crianças da mesma aldeia também apresentaram os mesmos sintomas, de forma mais leve, e foram colocadas em observação.

São Gabriel da Cachoeira é apontado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), como a cidade com a maior população indígena do país. O Amazonas contabiliza, até segunda-feira (10), mais de 7,2 mil casos confirmados da Covid-19 entre indígenas aldeados, com mais de 100 mortes.

Segundo o Instituto Socioambiental (ISA), organização da sociedade civil sem fins lucrativos que trabalha com indígenas da região, uma menina de um ano e oito meses foi internada com pneumonia, no sábado (8), e testou positivo para a Covid-19. Outras quatro crianças foram levadas ao hospital da cidade, no domingo (9), com sintomas como diarreia, vômito e desidratação, mas apenas três foram diagnosticadas com a doença.

Segundo a jornalista Juliana Radler, membro do ISA, o quadro das crianças preocupou a entidade. “Tem criança que foi resgatada saturando 74%. Uma saturação muito baixa e com quadro de desidratação, também”, disse.

Ainda de acordo com ela, outras crianças da mesma aldeia também apresentaram os mesmos sintomas. “São 15 crianças em observação no polo base do distrito de saúde do Maiá. Elas apresentaram sintomas leves, como diarreia, fraqueza e vômito e por isso estão em observação”, explicou.

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) informou que foi notificada pela Secretaria Municipal de Saúde de São Gabriel da Cachoeira sobre a situação das quatro crianças internadas com Covid-19. O Município informou que o responsável pela Saúde dos indígenas aldeados é o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Yanomami. O G1 tenta contato com o Dsei Yanomami.

Nesta semana, ainda conforme o Instituto, três das cinco crianças apresentaram melhora e foram encaminhadas para as Unidades de Atendimento Primário Indígena (Uapi), que fazem parte do Sistema de Saúde Indígena, presente no município. As outras duas crianças continuam internadas.

A aldeia Maiá é uma das mais de 300 comunidades Yanomami. A etnia é a maior do Brasil e abrange uma área estimada em 9,6 milhões de hectares, distribuídos em oito municípios do Amazonas e Roraima.

Segundo o mapa de monitoramento da Covid-19 em indígenas do Amazonas, da FVS, somente em São Gabriel da Cachoeira, já são mais de 2.500 casos e cerca de 42 óbitos. O documento, atualizado no dia 10 de agosto, também mostra que atualmente são cerca de 20 casos da Covid-19 em crianças menores de cinco anos e três estão internadas. Um óbito também foi registrado entre crianças dessa faixa etária.

Deixe uma resposta