O Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDHS) será objeto de investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde em acareação agendada para às 10h desta segunda-feira, 21. Para a rodada de esclarecimentos sobre o Contrato de Gestão 01/2019, firmado com a Organização Social de Saúde (OSS) que atua no Hospital Delphina Aziz foram convocados Leandro Moura, diretor técnico – ela substitui o diretor geral Luiz Gasparini que apresentou exame positivo para Covid-19-; a gerente médica Quézia Monteiro e coordenadora do Núcleo Interno de Regulação (NIR), Lourdes Soane.

“Desde a última semana, a CPI pausou os depoimentos individualizados para dar início às acareações. Eram muitas as contradições a respeito não só de valores, mas também sobre a prestação de serviços para a população. A discordância sobre o que era pra ser organizado, técnico e transparente, diante, inclusive, do valor milionário direcionado para pagamento; nos levou a reunir as pessoas envolvidas para melhores esclarecimentos”, afirmou o presidente da CPI, deputado estadual Delegado Péricles.

Prorrogação
A votação do pedido de prorrogação da CPI da Saúde será nesta semana. Chegando aos 110 dias, os membros da comissão aprovaram na última segunda-feira, 14, um requerimento solicitando a sua prorrogação por mais 60 dias, até o dia 29 de novembro.

O deputado Dermilson Chagas (Podemos) defendeu a prorrogação da CPI da Saúde por mais 60 dias e criticou a possível manobra da base governista de não prorrogar as investigações, numa tentativa de proteger o Governo do Amazonas. O deputado Delegado Péricles afirmou que a CPI está em fase de elaboração de relatório e que acredita que a comissão cumpre a sua função de investigar e fornecer subsídios ao governo do Estado para aprimorar os investimentos na Saúde. “É essencial a prorrogação da CPI que será votada na próxima terça-feira (22), contamos com a colaboração dos colegas deputados e deputadas que deverão entender a sua importância e aprovar sua prorrogação”, defendeu.

O presidente da CPI, deputado Delegado Péricles (PSL) defendeu a continuidade dos trabalhos e afirmou, ainda, que a comissão deveria ser permanente. “A CPI da Saúde tem pautado a gestão – mostrado que é possível e urgente gerir o dinheiro público com responsabilidade – e tem revelado atos ilícitos que, se não fosse a sua existência e eficácia, seguiriam escondidos perpetuando a corrupção na saúde do nosso estado”, afirmou

Deixe uma resposta